Tikaa.jpg IMG-20190112-WA0069ThumbnailsJude
Agora, a Tita precisa de adoção, mas precisa ser uma adoção tão especial quanto ela, pois as necessidades são muitas.
Ela precisa de uma casa ou apartamento onde já tenha outro cãozinho, também pequeno. (As brincadeiras ou brigas com cães maiores podem ser perigosas).
Ela é sociável demais, mas é também muito frágil. Lembrando que a Tita pesa apenas 1.7kg, depois da engorda (Continua um graveto de magrelinha)
Crianças muito pequenas são também contraindicadas, por razões óbvias. Precisa também de companhia em tempo integral, ou quase isso.
Em camas e sofás ela só pode subir se tiver escadinha, pois ela pula de qualquer altura sem medo e o risco de fratura é enorme.
Via de regra, ela não consegue subir onde não tem escadinha.
O controle da doença precisa ser rigoroso, pelo menos de 6 em 6 meses.
O alopurinol dela é de apenas 10mg. Como não dá pra partir um comprimido em 10 pedaços, o jeito é manipular.
Lembramos que doses altas de alopurinol por tempo prolongado comprometem órgãos internos. Por isso é essencial a manipulação neste caso.
A validade do medicamento é de 6 meses e o frasco com 180 capsulas (6 meses de tratamento) ficou em R$ 78,00.
A ração precisa ser de mini grãos. Ela não tem boca, mas apenas um bico com alguns dentinhos.
Fora esses pequenos detalhes, ela está ótima. É sociável, muito carinhosa e carente, pede carinho e colo 24 horas por dia, dorme na toquinha ao lado da cama, faz necessidades no jornal ou, de preferência, na grama.
Come muito pouco, é claro, e fica bem sozinha quando precisa (Embora fique muito triste nessas ocasiões).
Também é ligeiramente dominante, mas isso é coisa natural nesses gravetos, que têm a autoestima no céu.
Tudo que faz é bonitinho. Por isso, mesmo sem perceber, nós acabamos estimulando o mau comportamento no lugar de corrigir.
Os donos precisam ficar atentos a isso pra não criarem um monstro. Ela aceita bem quando chamamos a atenção por algum comportamento indesejado, abaixa as orelhas e mostra-se submissa. E é aí que mora o perigo, porque a vontade é de pegar e intensificar o carinho. Ela parece ter feito o mesmo curso daquele gato de botas do filme do Shrek.
O veterinário que a operou garantiu que ela tem entre um ano e um ano e dois meses.Segundo ele, o útero dela é de uma cadelinha que teve no máximo dois cios.
Tem também alguns dentinhos de leite que não caíram. Por isso, a certeza de sua pouca idade.
O veterinário acha também que o problema da perninha, grave demais para a pouca idade, deve ser de nascença, ou mesmo que ela tenha se ferido no nascimento, em um parto difícil da mãe.Provavelmente, estava com algum criador que descartou o filhote que nasceu com defeito e sem valor comercial.
Acabou entregando-a a pessoas que não conseguem cuidar sequer de si mesmas e o resultado foi a tragédia contada abaixo.O bom é que ela ainda é jovem e tem muita vida pela frente.Por sorte, pelo menos em parte conseguimos reverter suas dores e hoje ela é uma cadelinha arteira, feliz e muito agitada.

Dispensamos quem esteja interessado em um cachorro de raça.

Essa adoção precisa ser movida por compaixão e pelo compromisso de dar continuidade a um resgate.

Os cuidados com ela serão permanentes.

Que venha o adotante que ela precisa.
Contato para adoção: (31) 3477.7602.
E-mail: crispim@oloboalfa.com.br
Information